quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

tarot, nascer e por do sol, vida e morte...e a escolha de referenciais...


Esta foto é de um nascer do sol.

Poderia facilmente ser confundida com um por do sol.

Tudo depende do nosso referencial.

Nesta quinta será a missa de sétimo dia da minha querida amiga de infância.

Quando meu pai faleceu vivenciei e aprendi o quanto choramos por, simplesmente, pensarmos em todas as oportunidades pelas quais passaremos dali em diante sem a pessoa que se foi.

Percebi meu egoísmo e me refiz a partir daí.
Chorei sim, de saudades, mas não mais chorei por dó de mim mesma e me senti mais digna assim.
Aprendi também que tudo é finito em nosso plano físico e isto me fez valorizar cada momento vivido a partir dali.

Novamente é por aí que faço meu caminho. Choro de emoções e saudades, mas quando percebo que é o egoísmo que me vem à tona, prefiro refletir um pouco mais, rezar um pouquinho e pedir que minha amiga esteja em paz e que assim eu também fique. Isto faz toda a diferença pra mim.

A morte é o início ou o fim?

Tudo depende do referencial.

No tarot , a carta da morte é a décima terceira carta dos chamados arcanos maiores e nos traz a informação oracular da transformação. A morte no tarot é vista como o momento em que estamos passando por transformações ou finais de ciclos, momentos em que deixamos idéias e formas pra trás e que nos traz a renovação para novos tempos.

Esta é uma das melhores definições de morte e no fundo temos a consciência disto tudo em nossas células pois, passamos pela morte em vários níveis e em vários momentos em nossas vidas, sem falarmos nas várias mortes que nosso espírito passa através de tantas vidas de aprendizado.

Vivenciamos a morte o tempo todo como também vivenciamos a vida o tempo todo.

Gosto mesmo de pensar na questão de como lidar com a morte fazendo um paralelo com o nascimento.
Nascer e morrer são muito parecidos, como também são muito parecidos o nascer e o por do sol.

Quando uma criança nasce tudo muda à nossa volta e vamos aos poucos acostumando com esta criança nascida e que permanece “nascida” em nossas vidas, só crescendo e somando experiências.
A cada nova experiência, estamos também aprendendo a nos relacionar com esta criança que um dia nasceu em nossas vidas.
E isto é para sempre.Convivemos com este nascimento por toda nossa vida.

A morte é igual. A pessoa querida morre e a cada dia a partir dali vamos vivendo e nos acostumando com esta pessoa querida que morreu.
Vivemos experiências inéditas e ao mesmo tempo em que as vivemos temos a consciência de que, agora, esta pessoa está morta a cada dia em que vivemos.
Estas novas experiências vão surgindo e nós vamos convivendo com a morte física desta pessoa a partir daí por toda a nossa vida.

Existem também os que morrem em vida. Os que desaparecem de nossas vidas por inúmeras razões ou por razão nenhuma.
O resto de nossas vidas convivemos com estes que costumo chamar de vivos mortos ou mortos vivos. Novas experiências vão também surgindo e vamos vivendo na expectativa de que estes vivos mortos renasçam das suas cinzas. Esta é a única das opções de morte e nascimento em que podemos, mesmo contra todas as possibilidades, ter a dádiva das consciências ampliadas fazendo com que o vivo morto volte a ser vivo vivo mesmo.

A morte dói, mas o nascimento também dói em níveis que não nos lembramos depois que estamos “nascidos”.

Meu convite aqui é que possamos refletir sobre a morte como o nascimento e vice versa.

Que possamos refletir sobre o nascer do sol como o por do sol e vice versa.

Que possamos chorar sim, de saudades, pois ter saudades é sinal de que foi bom viver o que vivemos.

Mas que, mesmo vivendo o choro de saudades possamos nos reinventar para que, juntos, vivamos esta transformação que é aprendizado para todos nós.

Meu convite é este, façamos as melhores escolhas de nossos referenciais, ampliemos nossos horizontes e sejamos felizes enquanto cumprimos nossos dias e noites.

Sejamos felizes enquanto vivenciamos mais um nascer do sol e mais um por do sol nesta roda que é a vida.





3 comentários:

caue disse...

sabias palavras mae!
voce esta se mostrando uma pessoa muito mais sabia nesse blog!
beijo e saudades

Carmen Monteiro disse...

bjos tb, filho, e vc me traz muito alento...sempre atento ao que vivo!
bjo!

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

QUERIDA CARMEN, BELÍSSIMO TEXTO AMIGA... UM AVRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA