segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

dezembro , mês de beijar flores...


sinto que estou e estamos num momento mais para beijar a flor, como beijam as flores os lindos beija-flores e as saltitantes borboletas dos jardins de tantos pontos neste e deste planeta...a nossa amada Gaia!


Assim gostaria que fosse ao menos uma vez este mês de Dezembro... que as pessoas estivesse e se tornassem momentos -de -beijar -as- flores, deixando as correrias consumistas ao largo e se importando com o que realmente importa...
as flores de nossos jardins...
Eu, pelo menos, ando assim, voando com o vento, indo onde o perfume e a cor me levarem, curtindo o momento que é presente sempre divino se assim nos permitirmos que ele o seja.
Ando voando em jardins amenos, jardins novos e em jardins antigos da minha existência, ando beijando flores, sentindo seus aromas e texturas e ando voando, voando alto e baixo, sentindo as tendências e as mensagens que a natureza me traz . E isto assim tem me feito muito plena e beijoqueira... :)
Dezembro costuma ser um mês aflito, aflito de elocubrações, encontros, despedidas, reacertos, programações, reprogramações, celebrações,ausências e saudades.
Tudo numa aflição tão grande que não nos permite sermos mas, somente nos permite estarmos agitados e aflitos, muito mais nos percebendo aflitos que felizes como gostaríamos.
Esperamos que o mundo páre, esperamos que dezembro acabe com todas as suas simbologias e esquecemos que quem as faz somos nós, quem faz dezembro somos nós também, como fazemos todas as outras escolhas de nossas vidas.
Amando você como me amo...
Espero que dezembro seja pra você, um mês de beijar flores, voar em direção de amores e alegrias serenamente infinitas, aquelas que estão dentro de você e de mim!

3 comentários:

caue disse...

nossa
que foto bonita
foi em SAP???
beijos e INTERRUPTOR!

joper disse...

Nossa como vc esté inspirada e melancólica ao mesmo tempo...bem de qualquer maneira estão muito doces suas palavras....kiss!!!

Adriana disse...

Adoro saber do seu momento, seus insights, eles sempre me fazem parar e reconectar com o que é importante e verdadeiro, o que é imprescindível para mim, nesta lida cotidiana que me espalha em mil pedaços em tempos distantes do aqui e agora.
Muito grata